terça-feira, 9 de setembro de 2008

Cheiros...

Tenho vários cheiros guardados na minha memória.
Passam os os anos e vou esquecendo de coisas, mas ainda recordo aquele aroma associado a determinado acontecimento...
Há cheiros que reconheço, há cheiros que estranho...e cheiros que me entranham.
Há cheiros que até têm cor e sabor e nome de pessoas, de lugares, de momentos...
Há cheiros que me agradam,cheiros, de comida, de perfume, da chuva, da terra molhada, cheiro a mar, cheiro a areia, cheiro das uvas, cheiro a vindima...
E,há um, diferente, que, reconheço-o sempre.
Este, é um cheiro meu, que junta os mais variados sentimentos:
- Saudade, angustia, trizteza, alegria, nostalgia...
É este o cheiro da minha cria, da minha filha.
Fica o aroma no ar quando ela chega, por todo o lado, por toda a casa,
É o cheiro da ternura.
Quando ela parte... fecho a porta ,e guardo aquele cheiro só para mim, é o melhor cheiro do mundo,tem côr,tem luz, tem paz... cheira a flôr, a jardim....
Continuo cheirando, até ao novo regresso.

3 comentários:

eu disse...

Olá Concha

Obrigada pela visita. Gostei do seu blogue e vou voltar.
Escolhi este post para colocar o meu primeiro comentário porque também as minhas recordações são de cheiros ... em tudo.

Um abraço

MarTIC@ disse...

Cheiros que vêm e que vão e que nos fazem sentir bem, que nos despertam os sentidos e nos fazem viver!

"Este perfume tinha frescura; não era, porém, a frescura das limas ou das laranjas, a frescura da mirra ou da folha de canela, ou da hortelã ou das bétulas... nem a de uma chuva de Maio, de um vento gelado ou da água de uma nascente... e continha simultaneamente calor; mas não um calor semelhante ao da bergamota, do cipreste ou do musgo… nem ao de um bosqueado de rosas ou de ísis... Este perfume era uma mistura de ambos, do que passa e do que pesa; não uma mistura, mas uma unidade, e, além disso, humilde e fraco, e, no entanto, robusto e resistente como um pedaço de seda fina e brilhante... e, todavia, não como a seda, mas antes como o leite com mel onde se molha um biscoito, o que nem com a melhor das boas vontades se conjugava:leite e seda! Incompreensível este perfume, indescrítivel, impossível de classificar…”
(Patrick Suskind, O Perfume)

X@u

Bianca De Vit Begrow disse...

Oi!!
Amei esse texto! Para mim, cheiro também é lembrança... Cheiro tem forma, tem saudade, tem importância... Os cheiros são as histórias que a gente vive.

Abraço!

Funchal

Funchal