segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Cão Como Nós

"Cão bonito,dizia eu,em momentos raros.
E era um acontecimento lá em casa.
Os filhos como que se reconciliavam comigo, minha mulher sorria, o cão começava por ficar surpreendido e depois reagia com excesso de euforia, o que por vezes me fazia arrepender da expressão carinhosa.
Cão bonito.
E ei-lo aos pulos, a dar ao rabo, a correr a casa toda.
Digamos que aquele cão era quase um especialista nas relações com os humanos.
Tinha o dom de agradar e de exasperar. Mas assim que eu dizia – Cão bonito – ele não resistia. Deixava-se dominar pela emoção, o que não era vulgar num cão que fazia o possível e o impossível para não o ser."
de Manuel Alegre
Uma prosa poética, cheia de saudade do "Kurika",um cão que acreditava que não era cão,mas sim membro da família.
Um conto enternecedor, comovente,cheia de saudade.
Surpreendentemente brilhante.
Logo que pensamos em cachorros, vem à cabeça a imagem do melhor amigo do homem.
O cão é o mais antigo dos animais domésticos, e é um animal social, com características que podem ser utilizadas em benefício do ser humano.
Bom caçador, dócil, corredor, inteligente e obediente.
Uma das amizades mais fortes entre duas espécies diferentes, certamente, é a que existe entre o cão e o homem.
Alguns cães têm instinto mais selvagem, mas só se torna violento se estimulado pelo dono.
É o animal que mais se uniu e que melhor se adaptou ao nosso modo de vida.
Por maior que seja a dedicação e afeição de alguns aos amigos caninos, outras pessoas parecem não se importar com os direitos dos animais: as covardias e desrespeitos aos cachorros são grandes provas do egoísmo e falta de humanidade nas pessoas.
Será que alguém ainda duvida que o cão é o amigo mais fiel ao homem?
Nunca abandonem os animais.
Isto deveria ser levado a sério.



3 comentários:

Zeca - Diabo disse...

Titia Concha, tás muito enganada, nos dias de hoje existem muito poucos cães para o numero de pessoas que os querem adquirir, tanto assim é que já inventaram uns cães-robots, para culmatar essa lacuna da natureza. Tão amorosos os seres humanos, hihihi, já dizia o outro "quanto mais conheço os homens, mais gosto do meu cão."
Beijos

MarTIC@ disse...

Os cães são o nosso elo com o paraíso. Eles não conhecem a maldade, a inveja ou o descontentamento. Sentar-se com um cão ao pé de uma colina numa linda tarde, é voltar ao Éden onde ficar sem fazer nada não era tédio, era paz .
Milan Kundera

;)
X@u

Vieira Calado disse...

A propósito de cães.

Também escrevi sobre um cão

MERDOCK
um cão, em Faro, anos 50.
(3ª edição)

Em tempos teve um blog, mas hoje está
praticamente desactivado.

Cumprimentos meus

Funchal

Funchal