terça-feira, 8 de junho de 2010

O calendário é a vida a passar

Quando tudo é triste, sem emoção, sem brilho, sem destino e sem esperança.
É difícil viver.
Quando regresso ao quotidiano, anunciado com o despertador, a dar início de mais um dia terrível e a lembrar que o anterior já acabou....
Sinto frustação.
Mais um dia com inúmeros afazeres, rotineiros sem utilizar imaginação ou inteligência.
Mais um dia marcado com o recomeço de uma luta que teima em que nada aconteça, e os dias aceleram ,e o que tenho marcado como objectivo não se realiza.
E, não faço aquilo que gosto, não consigo chegar lá, não sei bem onde, apenas fico com pequenas realizações.
Já não ultrapasso obstáculos.
Já mal consigo sonhar.
Contudo, quando enfrento esta panóplia de contrariedades e de imposições acabo sempre por não mostrar o medo que eu sinto, mas que tenho, medos reais, imaginários, assumo-os e surpreendo-me por admiti-los.

3 comentários:

Fernando José Ramos disse...

É assustador ver a vida passar,mas nunca podemos perder a força a vitalidade.
Um grande abraço,

Quê disse...

Amei !
Convido a passar em meu blog: www.agridoceassim.blogspot.com

Manuel disse...

Pois é, os dias passam à pressa.
O ontem já não podemos apanhar.
O amanhã não sabemos como vai ser. A força de viver temos sempre, e mais do que imaginamos...
Beijinhos

Funchal

Funchal