quarta-feira, 15 de setembro de 2010

E passaram 33 anos com muita saudade...

Hoje acordei e senti a tua falta.

Revivi o passado com ternura, o teu olhar, a tua mão o teu abraço que me envolvia completamente.

Essa segurança nunca mais senti.

Sem a tua orientação os teus conselhos eu percorri estes anos, construi e realizei sonhos, que também eram teus.

Pensei muitas vezes o meu Pai deve estar orgulhoso por tudo o que eu sou.

Hoje faltam-me as certezas, sinto que fracassei, sinto que a vida dá a alegria com uma mão, e que com a outra dá a decepção.

Se realmente o destino está marcado em algum lugar, que seja aí, no céu onde estás, assim eu fico com a esperança que vás me puder ajudar...

Um beijo Pai

11 comentários:

Fernando Drumond disse...

Simplesmente lindo tia! Estou sem palavras......

Majju disse...

Afagos meus no seu coração...simplesmente isso.
Beijos doces e perfumados.

Manuel disse...

Fico sempre comovido com a tua escrita.É um espelho da tua alma.
És linda sempre.
Um grande beijo

leninha drummond disse...

Lindíssimo, lindíssimo.Só a tia, só a tia concha põe-me sem palavras. Adorei.

Fernando José Ramos disse...

O teu sentimento, o teu testemunho é lindo!
Tenho a certeza que o teu Pai ia ficar orgulhoso ao ler a tua dedicatória.
É pena Ele não poder estar contigo.
Um grande abraço

Rosa Oliveira disse...

O tempo passa tão depressa,parece que foi ontem !!!
O teu pai ia se orgulhar de ti se estivesse entre nós.
Cada vez que leio o que escreves lembro-me do colégio,da D.Lucinda, dizer temos na sala uma "Matilde Rosa Araújo"e tu sorrias.

Um beijo

Hanukká disse...

...saudades, é ma linda palavras, significa que lá atrás alguém, uma coisa, algo de especial passou por nossas vidas, isso é muito bom, vivemos!, beijos e força.

Espaço do João disse...

Querida Concha.
Grato pelas palavras de incentivo.
Para mim, o passado já foi,o presente, já era e, o futuro nunca encontraremos.
Chorar sobre o leite derramado? Para quê?

Já revivi o passado
Já revivi o presente
Já revivi o ausente
Já revivi estou cansado
Já revivi minha mente

Lembrar quem já passou
Lembrar quem está presente
Lembrar quem se amou
Lembrar quem está na mente
Lembrar quem se findou

Vida curta esta nossa
Vida que dá para esquecer
Vida que não dá para intender
Vida que serve para estarrecer
Vida que até deixa mossa

Viver dia após dia
Viver à luz do luar
Viver até o sol nascer
Viver todos os dias a amar
Viver sempre com alegria

Digo sempre até logo
Amanhã logo se verá
A vida não passa dum jogo
Não sei até se valerá
Viver a vida como logro

Sei bem que meus tempos estão a findar, mas tenho bem presente quanto a vida me proporcionou. Não a posso deixar como legado, perfiro morrer sossegado. Um abraço de amizade. João

Zeca - Diabo disse...

que paisagem...

Pia Fraus disse...

Entre o ganho e a perda tentamos sobreviver no equilíbrio...

até... sempre bom passar por aqui.

MarTIC@ disse...

Cara Concha!
Lindo e singelo, como sempre!
O seu pai deve estar muito orgulhoso da pessoa que você é.

;)*
X@u

Funchal

Funchal