sábado, 23 de abril de 2011





















Sou apaixonada pela vida e pela gargalhada.

Vivo na ansiedade de realizar projectos, todos maiores que o meu tempo.

A reflectir profundamente sobre a vida tenho o dever e reclamo direitos, não só para mim, mas direitos colectivos. Defendo a família como pilar de uma sociedade melhor. Engano os sentidos a reuni-los , sei que por mais energia que eu tenha nunca poderei modificar o que está errado.
Da falsidade dos cumprimentos dos rituais das reacções bem recentes, eu consigo esquecer, porque fico com a ilusão que todos somos boas pessoas.

Quimera irrealizável...

2 comentários:

POESIAS SENSUAIS E CONTOS disse...

Apenas um momento
.

Quero amar!
Somente amar.
Não quero ser
um louco delirante.
Quero o luar
para iluminar
na beira do mar,
nossos corpos nus se amando...
Depois se você se for
que vá.
Mesmo que eu tenha que chorar,
não vou morrer de saudade.
Porque o meu coração,
não tem medo da solidão,
quando decidiu te amar,
por um momento,
e depois;
uma eternidade
de lembranças,
saudade,
solidão,
dor,
e paixão,
que curarei
em outros braços...

.
Poeta Francis Perot

carol disse...

Nunca mais aqui passei. Que vergonha! Peço desculpa. Agora, aproveito para dizer: que texto tão sincero! Bom era que fôssemos todos assim!
Beijinhos

Funchal

Funchal