terça-feira, 30 de novembro de 2010

Não há louco que não seja lúcido, nem lúcido que não seja louco.

Li a "Saga de um pensador" de Augusto Cury.

É um livro que ensina a controlar as nossas memórias.

Transforma histórias em circunstâncias, uma verdadeira viagem ao cérebro.

Concluí que estamos muito longe de perceber o que nos constrói ou destrói e que estamos longe de sermos seres perfeitos ou seres normais.

5 comentários:

Jardineiro do Rei disse...

Nesta época de luzes e de cor... nada tenho de material para oferecer aos meus amigos. Apenas o meu amor pelas plantas... e um pouco de poesia.
Um Natal cheio de Amor, ternura e calor humano...

ESTOU CANSADA DE SER GENTE

Estou cansada de ser gente...
Quero um Destino diferente!
Nem ave, nem flor, nem semente...
Quero um Destino diferente!

Gostava de ser estrada!
Uma estrada da vida,
bem pisada,
bem calcada,
bem corrida...

Que a chuva me fustigasse
e o vento me desgrenhasse!
Que a força do furacão
atirasse as minhas pedras
ao meu próprio coração!

Que me corressem os mendigos
com a sacola pesada
e à noite, a horas mortas,
os garotos delinquentes
que roubam fruta nas hortas,
me cuspissem os vestidos
de cascas e de sementes...
E ao domingo, saltitantes,
as meninas do orfanato
com o seu ar sério e abstracto,
me pisassem toda, toda,
me deixassem bem pisada,
passeada,
remexida,
esfarrapada...
Que bom seria ser estrada!
(Amélia Veiga)

Manuel disse...

A nossa vida é passageira,
e temos que ser e de fazer os outros felizes...
Beijo

Dalva Maria Ferreira disse...

Interessante... Felizes Festas!

Vieira Calado disse...

Não, mas tomei nota.

Saudações poéticas

Espaço do João disse...

Todos nós temos de tudo um pouco.
Pena é que não saibamos muitas das vezes aproveitar esses momentos.

Funchal

Funchal