sábado, 13 de junho de 2009

O imprevisível acontece.

O imprevisível é não ter ideal nenhum.
Porque ele é imprevisível.
Adoptar um só disfarce?
Colocar uma só cara?
Ou parte dela?
Ando à procura do ideal.
Porque o ideal é ir.
É estar pronta para ir para todos os lugares.
Todas as pessoas têm um ideal.
Claro que é impossível não ter ideal.
É impos­sível para mim.
Há uma série de coisas, que são efectivamente impossíveis, mas posso tentar o que é impossível, apenas porque é limitado.
Digo de propósito,que dou perfei­tamente como possível.
Quando eu penso num ser divino que me vigia, que bate num, e premeia outro, estou realmente a transportar-me a mim própria, para uma atmosfera divina, para um poder divino que de nenhuma maneira me pertence.
O que há lá, que pode ser tudo, é tão ilimitada, que não pode tomar nenhuma das minhas histó­rias reais.
Pela essência é imprevisível, voa tudo.
Então talvez um ideal muito importante hoje é passarmos do previsí­vel ao imprevisível.
Porque eu estou a criar e a viver numa civilização que me parece que temos por ideal o previsível.
Hoje, eu acredito na inteligência relativista, que me parece ser exacta­mente uma maneira de dominar o imprevisível.
E, a minha resistência, e a minha força é também imprevisível!

6 comentários:

Manuel disse...

Conseguiste mais uma vez surpreender-me.
Deixaste-me a pensar...
Imprevisível???
-É toda a nossa vida.

Dalva M. Ferreira disse...

Prefiro agir: enfiar a cara e quebrá-la, como era de se esperar.

Abração d'além-mar.

Anónimo disse...

Grande introspeção...
Grande alma.
Grande Mulher!

Vieira Calado disse...

Na 1ª imagem, por pouco,
não era uma cidade dentro da cidade!

Cumprimentos meus

Zeca - Diabo disse...

Temos de divagar sobre esse assunto ao sabor dum bom vinho tinto. O grandeza do tópico assim o exige. A vida é imprevisivel

Bjs

MarTIC@ disse...

Somos muitas vezes surpreendidos pelo imprevisível, pelo inesperado e pelo incontrolável. Mas como diria Paulo Coelho, nada acontece ao acaso...

Na rua do Imprevisível
(...)

Na Rua do Imprevisível
tudo é possível...
Da dor se faz melodia
tocada ao som de violino;
da harmonia compõe-se hino
e do insensível transborda amor...

Na Rua do Imprevisível
nada se prevê,
tudo se vê...
nada se esmorece,
tudo acontece;
nada se espera,
tudo se revela...
(...)
Carmen Lúcia

Bjs
X@u

Funchal

Funchal